album

Meu Deus, és a cara chapada dela. Ia jurar que são a mesma pessoa. Chega a meter medo!

Mas agora que reparo melhor, as diferenças. Nariz mais arredondado, a face mais redonda no seu todo, aliás. Até os olhos, menos rasgados e mais pequenos, sobrancelhas menos espessas, mais desenhadas. Olhos mais calmos, sim. O cabelo mais claro, mais desordenado, o queixo proeminente. A palidez também destoa do ligeiro moreno da pele dela, e as mãos… Essas realmente são outras, mais duras na sua forma, menos angulares e estreitas, muito pouco femininas. O sorriso é mais fechado, mas remete novamente para o rosto dela, os olhos estreitam-se da mesma maneira, aquelas pequenas rugas formam-se nos mesmos sítios, subindo do canto do olho para os lóbulos frontais. Aí há aquele mesmo calor, a sensação é parecida. Mas com uma força diferente.

 

No entanto, há mais a aproximá-las, a vários níveis, que a separá-las. E isso nota-se, mais ainda que as diferenças, muitas não descritas. Sente-se. Partilham em parte a mesma alma, aura, o que se lhe quiser chamar.  Sangue também. E o que as distingue, de certa forma, aproxima-as.

Anúncios